Título Autor
“Como pode uma machorra daquelas?” Escrito por Natália Borges Polesso (ilustração: Hallina Beltrão)
Sobre o que houve com o que foi dito Escrito por Noemi Jaffe (ilustração: Hana Luzia)
O mundo inteiro nas nódoas corriqueiras dos seus poemas Escrito por Marília Garcia (imagem de abertura: Rafael Viegas/ Divulgação)
Traduzir, esforço para abrir portas Escrito por Frederico Lourenço (arte: Maria Júlia Moreira)
Discurso do poeta calejado de começos Escrito por Ismar Tirelli Neto (texto e foto)
A labuta para publicar uma antologia Escrito por Texto: Daniel Dago. Imagem: Maria Júlia Moreira
Encontros que tornam bela a incompletude Escrito por Chico Ludermir (foto e texto)
Somos do lugar onde os filhos crescem Escrito por Juan Pablo Villalobos
uma ficção à procura de suas metáforas Escrito por Ana Maria Gonçalves (arte: Karina Freitas)
Poemas sobre a vida danificada Escrito por Carlito Azevedo
Sobre a violência de paixões e ditaduras Escrito por Luciana Hidalgo
Reescrever um passado, avistar um presente Escrito por Samir Machado de Machado
O escritor que não sabia inventar Escrito por Julián Fuks
Nova chance para vencer a indiferença Escrito por Victor Heringer
A fuga como ponto de inflexão Escrito por André de Leones
A criação, processo de vida inteira Escrito por Ramon Nunes Mello
O cronista como investigador da cidade Escrito por Luís Henrique Pellanda. Ilustração: Hallina Beltrão
Imagens difusas da santa que mora ao lado Escrito por Micheliny Verunschk. Ilustração: Hallina Beltrão
A epopeia contida numa bula de remédio Escrito por Luci Collin. Ilustração: Maria Luísa Falcão
até onde a obra pode levar o escritor Escrito por Caco Ishak

SFbBox by casino froutakia